Ovos São Mocinhos e Não Vilões

“Não sabe nem fritar ovo”. É assim que muitas pessoas que não sabem cozinhar são tachadas. Mas aí vai um fato que será o fim da perdição de muitos, ovo, como qualquer outro ingrediente, tem exigências na hora do preparo. E o ovo é ingrediente-chave em receitas de doces, pães e pastas. Entāo por que o ovo não é levado a sério? Bom, graças a Deus, algumas pessoas e chefs de cozinha o levam a sério, e há um livro que ensina como ovos podem ser usados em 365 receitas (365 Ways to Cook Eggs by Elaine Corn). Eu diria que é uma receita para cada dia do ano. E nos livros tradicionais de culinária, há capítulos que ensinam por quanto tempo o ovo deve ser cozido para adquirir a consistência desejada para determinado fim.
E o ovo vai muito além de ingrediente para adicionar sabor, textura, etc. Eu tive um namorado cuja māe desenvolveu a sua tese de doutorado desmitificando a conexāo entre ovos, ou mais precisamente gemas de ovos, e alto colesterol. Ela usou o marido como cobaia em seu experimento e conseguiu provar que além de as gemas nāo terem ligaçāo com alto colesterol (o ovo possui lecitina, um emulsificante natural de gordura, que inibe a absorção de colesterol no intestino, dessa maneira não ocorre elevação do colesterol quando comemos ovo, mesmo ele tendo quantidades tão elevadas desse nutriente), essa partezinha amarela é tão valiosa quanto ouro, mas para a nossa saúde. Em anexo, está uma tabela com as propriedades e benefícios dos ovos. Comam ovos sem medo. Eu, por exemplo, sempre tenho ovos cozidos (que cozinho por três minutos após fervura e deixo a panela tampada até os ovos ficarem mornos) na geladeira, e quando aquela fome repentina bate no meio da manhā ou da tarde, é para o ovinho sagrado que apelo. E repeti tanto ao meu irmão para ele fazer o mesmo, que esses dias ele me mandou uma foto com uma caixa de ovos cozidos na geladeira. Senti, que com ele, essa batalha estava ganha. *:-)

Ah! Antes de eu passar uma receitinha, tenha em mente que na hora de comprar ovos não há diferença nenhuma entre ovos vermelhos e brancos a não ser a própria cor. E sempre que você for usar ovos em receitas, o ideal é tê-los em temperatura ambiente, para que ele adquira o volume necessário na hora de bater ou para melhor misturar com os outros ingredientes em massas de bolo ou pão.

Ok, a receita escolhida é omelete. Omelete na França e aqui nos EUA é considerado um prato sofisticado. Quem sabe preparar um omelete fofinho e ainda dobrá-lo ao meio de forma elegante é considerado um “bon chef du cuisine” e eu, após várias práticas e assistir a um vídeo científico com o meu favorito chef/cientista da cozinha, Alton Brown, finalmente dominei a técnica e sempre recebo elogios, como o presidente da rede Burger King quando eu trabalhei para a família dele como “private chef” disse que meu omelete é melhor do que em restaurantes. Como dizemos no sul do Brasil, depois daquela, eu não pude nem comer chimia.😀
Então aqui vai a receita básica que é como coração de mãe, sempre cabe mais um, neste caso, mais um ingrediente.
Para cada ovo (branco ou vermelho) em temperatura ambiente, adiciona-se uma colher de sopa de leite. Bata os ovos e leite com um garfo ou foue até que os ingredientes se misturem. Em uma frigideira não aderente, coloque para cada ovo usado meia colher de manteiga, e um fio de azeite de oliva. Deixe a manteiga derreter e o óleo esquentar e adicione os ovos. Com uma colher de pau, fique mexendo no centro da frigideira, tocando o fundo até que os ovos comecem a cozinhar. Quando isso acontecer, baixe o fogo e acrescente o queijo primeiro e os demais ingredientes de sua opção em um lado do omelete. Quando possivel, dobre a metade sem recheio sobre a outra metade. Dica! Nunca cozinhe o omelete até ficar seco, deixe-o cozinhar apenas até não ver mais o líquido, mas que ele fique meio molhadinho ainda, com um brilho. Desligue o fogo e sirva imediatamente. Tempere com sal e pimenta do reino moída na hora e temperinho verde e salsinha picados. O omelete pode ser servido em qualquer das três principais refeições do dia, e pode ser acompanhado de salada, batatas assadas, ou pão. E bon appétit! *:-)

Sugestões de ingredientes para o seu omelete:
– cebolas caramelizadas ou cruas cortadas fininhas
– bacon já fritinho
– tomate picadinho
– azeitonas
– queijo
– espinafre
– ervilha
– milho
– alho refogado
– batata-palha
– molho de tomate
– avocado
– linguiça ( qualquer tipo já frita)
– presunto
– frango já cozido
– carne já cozida
– coraçãozinho de galinha
– tomate seco
– restinho de carne de churrasco com molho de churrasco por cima

Utensílios Básicos na Cozinha

Como tudo na vida, devemos começar pelo básico, nao é? E básico para mim na cozinha começa com os utensílios que não podem faltar. Confesso que sou VI-CI-A-DA em utensílios de cozinha (os amo mais do que sapatos) que além de serem práticos e facilitarem a minha vida, eles vêm em diferentes designs e cores que ajudam a decorar a cozinha com estilo. E ter os utensílios certos torna o ato de cozinhar mais empolgante, fácil e rápido. Aqui nos EUA, a variedade é enorme, infinita, é isso para aquilo, aquilo para isso, isso para isso e aquilo para aquilo, mas se nos deixarmos levar pela empolgação, a casa terá que ser resumida à cozinha, apenas. Então aí seguem algumas fotinhos e listas de utensílios que facilitarão e muito a vida de todos vocês.

Um estilo que amo na hora de organizar os utensílios é o estilo “French country”(fazenda francesa). Os utensílios ficam à mostra, pendurados na parede, que geralmente tem um toque provençal, rústico, ou em potes de argila ou porcelana. Acho um charme e lá estão eles prontinhos para serem usados e abusados. *:-)

Lista Básica de Utensílios de Cozinha

Faca para carne– A faca que mais uso, tanto para carne quanto para cortar vegetais, frutas, etc é a “chef’s knife”. Vale muito à pena investir em uma boa faca e mantê-la afiada. Cortes nas mãos com facas ocorrem mais comumente quando a faca não está afiada.
Faca para pão– sempre bom ter uma longa que servirá não apenas para cortar pão, mas também para cortar fatias de bolo na horizontal para colocar recheios.
Descascador de legumes– Ah! Como amo esse utensílio! Lembro que assistia aos episódios do Popeye e não entendia como eles descascavam batatas tão rapidamente no navio e de uma forma engraçada. Hoje, eu sei!🙂
Peneira– A peneira pode ser de plástico, de alumínio, etc, e vários tamanhos para diferentes finalidades. Com furinhos maiores para pastas, vegetais, etc ou com furinhos menores para farinhas, chocolate em pó, etc. Faz uma diferença enorme quando for fazer um bolo ou sobremesa delicada e peneirar a farinha antes.
Ralador de queijo multiface (com ralo fino, grosso e lâminas)- Eu adoro usar a parte da lâmina para ralar queijo parmesão em lasquinhas para colocar na sopa quentinha. Fica lindo e delicioso.
Colheres de pau (em restaurantes está proibido o uso, mas em casa, pode). Amo colheres de pau. Elas não estragam o fundo das panelas e não comparam-se a outros tipos de colheres na hora de misturar um molho, por exemplo. Claro que elas devem ter um cuidado todo especial por causa das bactérias. Deixá-las em água com vinagre uma vêz por semana e lavá-las com água quente é um “must”, e o que gosto, deixá-las expostas dentro de um vidro sobre o balcão da cozinha- extra charme para a sua cozinha.🙂
Concha de servir– as melhores são as que têm o finalzinho do cabo dobrado para poder deixar na borda de uma panela grande, e claro, para poder pendurar na parede.🙂
Tábua de cozinha– em madeira para carnes vermelhas, vegetais e frutas, em plástico para frango e uma para peixe. As tábuas de cozinha sempre causam contaminação alimentar, por isso devem ser lavadas e higienizadas muito bem após o uso.
Tesoura – muitas finalidades, como abrir pacotes, cortar temperos, fazer detalhes em pães e outros tipos de massa antes de serem assados.
Xícaras e colheres medidoras– nada melhor para seguir receitas de forma apurada
Jarra medidora– mesmo motivo do que acima
Forma de bolo e pudim– o bom é ter uma redonda que será usada para fazer bolos com recheio.
Assadeira retangular– dois tamanhos é sempre bom
Forma de aro removível– para quiches, cheesecakes, etc.
Amassador de batatas– a não ser que você não se importe de usar um garfo.
Espremedor de alho– suuuuper prático.
Rolo de macarrão– indispensável, não é?
Fouet– para misturar ovos, massas de bolo, etc. Melhor os com aros finos e resistentes.
Concha para sorvete– eu as tenho em vários tamanhos e os que soltam o sorvete facilmente, pois posso usá-los para fazer “cookies”
Bowls (vasilhas) de preparo de dois ou três tamanhos diferentes
Pincel de cozinha – para untar formas ou pincelar gema
Luva para manuseio de pratos quentes
Silpat (tapetezinho de silicone para assar cookies, etc Essa é a melhor marca e é feito na França)
Abridor de lata– gosto dos abridores americanos. Sem perigo de corte.
Ralador pequeno para casca de laranja e limão (zester)– ótimo para aquele aroma delicado no preparo final de uma receita.
Abridor de garrafa de vinho – adoro usar vinho para cozinhar
Pegador de carnes– que aqui são chamados de “tongs”, e são um baita mão-na-roda na hora de preparar bifes, etc.
Espátula de silicone– usada apenas para bolos e sobremesas
Balança– super importante na hora de preparar doces, bolos, etc pois esses exigem fórmulas exatas.
Formas rasas para assar– podem ser usadas para assar “cookies”, pães, carne, etc
Bicos e sacos para confeitar– não somente para sobremesas, mas também para canapés eles podem ser usados – Indispensável na cozinha para um toque mais sofisticado.
Claro que há muitos outros utensílios por aí, mas tendo os listados acima, você já estará pronto para fazer um banquete de primeira para a família toda ou para os amigos. Et voilà!

E para os que querem um toque mais descontraído na cozinha, aqui está uma linha com identidade. *:-)

Oi! Hello! Bonjour! :-)

Por que decidi escrever um blog? E por que esse blog é chamado Cat Noir – NYC versus Paris? Bem, sempre gostei de escrever e sempre gostei de compartilhar, e através desse blog poderei compartilhar com vocês algumas de minhas paixões, que nāo sāo poucas, mas serāo aqui um pouco diminuídas e focadas em duas das minhas cidades favoritas, NYC e Paris e seus fatos curiosos. As duas são fascinantes e têm muito a nos contar, tanto o que está abertamente exposto aos seus visitantes e moradores, quanto os segredos mais obscuros. NYC e Paris sāo magicamente contrastantes. NYC, “a cidade que nāo dorme”,  é  moderna,  os acontecimentos sāo efemerais e as pessoas fazem de tudo o que é possível e impossível para terem sua própria identidade, e isso vemos não somente na forma como se vestem, no “hair style” e calçados, mas também na comida, que é uma das minhas paixões a serem apresentadas aqui. E Paris, ” a cidade das luzes”, por outro lado, é super tradicional, cujos costumes têm séculos, ou até milênios de existência, onde as pessoas ainda sāo super elegantes usando cachecóis e chapėus e andar de bicicleta no dia a dia usando sapato de salto alto nāo é somente para cenas de filme. Para quem já visitou uma, a outra ou as duas, esse blog também será válido, pois poderāo relembrar histórias vividas lá ou ficar atualizados com o que está em “vogue” no momento em relação ao mundo gastronômico, por exemplo. E para quem ainda não teve a oportunidade de ir, delicie-se com os fatos e principalmente com as receitas que aqui compartilharei com vocês, e assim quando puderem visitar NYC e Paris, saberão exatamente o que saborear. Espero que curtam o blog. Estou ansiosa para dividir com vocês NYC e Paris em um jeito bem gostoso. *:-)